A betaína aumenta a força e resistência muscular

Investigadores da Universidade de Memphis nos Estados Unidos, realizaram um estudo com o objectivo de testar os efeitos da suplementação com betaína, um suplemento já algo conhecido no mundo da musculação.

Para o efeito, os investigadores recrutaram atletas de musculação e dividiram-nos em dois grupos, sendo que um recebeu a betaína e o outro apenas um placebo.

Os voluntários foram divididos pelos grupos de forma aleatória e consumiram betaína (2,5 g de betaína misturado em 500 ml de Gatorade ®) ou um placebo (500 ml de Gatorade ®) durante 14 dias.

Antes e após cada período de tratamento, foram conduzidos os testes de baixa e alta potência muscular corporal e força isométrica, incluindo um teste de resistência muscular para a parte superior do corpo (10 séries do exercício supino, até à falha muscular.

Foram recolhidas amostras do sangue antes e depois do teste de exercício para análise do lactato, nitrato/nitrito (NOx) e malondialdehyde (MDA), sendo que não encontraram diferenças significativas entre as diferentes condições

No entanto, o grupo que recebeu a suplementação com betaína, teve um melhor desempenho, nomeadamente no número total de repetições realizadas e volume total de carga no protocolo das 10 séries de supino, com valores 6,5% mais elevados entre a pré e a pós-intervenção.

Os investigadores escreveram:

Apesar de não ser de significância estatística, o lactato sanguíneo, bem como os níveis de NOx pós-exercício, aumentaram em menor grau com a suplementação de betaína (210%) em comparação com a administração de placebo (270%).

O que significa que, para além de melhorar a performance, a betaína parece também reduzir os níveis de lactato sanguíneo, o que por sua vez pode reduzir o nível de “ardor” e cansaço muscular derivado do treino.

 Na conclusão, os investigadores afirmaram que:

“Estas descobertas indicam que a suplementação com betaína resultou num aumento moderado em repetições de carga total e volume no exercício supino, sem impactar favoravelmente outras medidas de desempenho.”

A meu ver, pode valer a pena incluir esta substância no seu regime de suplementação, ou combinar com outros suplementos de eficácia já comprovada, como o monohidrato de creatina, a cafeína, etc.

Referência!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.

Deixe um comentário

Siga-nos por Email
RSS
Instagram