A arginina em combinação com extracto de uva, melhora a sua condição física

Um suplemento que contem o aminoácido L-arginina e um extracto de uva aumenta a intensidade com que pode treinar sem ficar cansado.

Cientistas de desporto da Universidade de Nebraska-Lincoln publicitaram as suas descobertas no “Journal of Strength and Conditioning Research”.

Os extractos da uva ou pele de uva, contêm polifenóis que inibem a desintegração do bom “radical livre” monóxido de nitrogénio [NO] no organismo. E porque uma maior quantidade de NO mantém uma melhor circulação sanguínea, os extractos protegem os vasos sanguíneos e melhoram a facilidade com que o coração pode bombear oxigénio e nutrientes para os músculos.

A L-arginina é um percursor do NO. A ideia de que a combinação da L-arginina e extracto de uva aumente a condição física, não é assim tão estranha. O exercício físico causa a libertação de amoníaco no sangue, e isso provoca fadiga. A L-arginina acelera o processo através do qual o organismo remove o amoníaco.

Estudos sobre a eficácia da L-arginina em reduzir o cansaço, foram inconclusivos, e esta é a primeira vez que foi estudada uma combinação de extracto de uva e L-arginina. É por esse motivo que o produtor de suplementos “General Nutrition Corporation” financiou este estudo, em que 1500 mg de L-arginina foi combinada com 150 mg de extracto de uva.

Os 50 voluntários do sexo masculino [idade média: 23] tomaram o suplemento durante 4 semanas. A alguns membros do grupo foi administrado um placebo, outros tomaram uma dose diária de 1500 L-arginina e 150 mg de extracto de uva, e outro grupo tomou o dobro desta dose. Os voluntários não praticavam exercício de forma regular.

Antes e após o período de 4 semanas, os investigadores determinaram o limite de capacidade de trabalho físico [PCWCFT] dos voluntários quando fizeram ciclismo. O gráfico abaixo mostra o que é isso. A figura mostra os dados de cada pessoa.

Tabela 1

O maior nível de intensidade a partir do qual a fadiga dos voluntários não aumenta de forma significativa, é a 140 Watt. Quando a intensidade atinge os 170 Watt, a fadiga instala-se.

Pode calcular a sua PWCFT tirando a média das três figuras. Por outras palavras: o nível de intensidade com que pode fazer exercício por um longo período de tempo sem ficar cansado. Neste caso, é a 155 Watt.

O PWCFT aumentou nos indivíduos que tomaram suplementos. E nem sequer necessita assim de muita L-arginina para atingir isso – a dose baixa funciona tão bem como a dose alta.

Tabela 2

Os investigadores concluíram que:

Estas descobertas suportam o uso dos suplementos à base de arginina, nas dosagens utilizadas na presente investigação, como uma ajuda ergogénica para indivíduos destreinados.

Referência!

Prática de musculação baseada em evidência científica. Siga-nos através das redes sociais.