5 indícios de que está viciado em doces

5 pistas de que está viciado em docesA maioria das pessoas já sentiu a necessidade ou o desejo incontrolável que nos faz procurar algo doce e devorá-lo em instantes.

Aquela incontrolável atração por biscoitos, doces, gelados ou o cesto de pão quente que está a chamar por nós.

Porque motivo comemos demais? Porque é que esse biscoito ou bolo tem tanto poder sobre si, apesar de saber que o/a irá fazer ficar mais gordo/a e doente?

É uma indicação de fraqueza moral, falta de autocontrole, ou trata-se de uma resposta cerebral demasiado forte acerca do qual temos muito pouco controlo?

Ultimamente tem-se falado cada vez mais acerca do potencial que os alimentos “de plástico”, hiper-processados e hiper-saborosos que cada vez mais portugueses comem e em maiores quantidades, são ou não viciantes.

Um novo estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition sugere que, de fato, os alimentos de elevado índice glicémico podem ser viciantes.

David Ludwig, e os seus colegas da Universidade de Harvard, realizaram um estudo muito sofisticado no qual mostraram isso com alimentos que contêm mais açúcar, alimentos que elevam ainda mais os níveis de açúcar no sangue do que açúcar de mesa, tal como a farinha branca, e amidos refinados têm o que é chamado de alto índice glicémico, que ativam uma região especial do cérebro chamada nucleus accumbens que é a zona conhecida por ser também a ativada pelos vícios mais comuns, tais como o jogo ou o abuso de drogas.

Parece que o motivo pelo qual cada vez mais brasileiros e portugueses têm excesso de peso e problemas de saúde como a diabetes tipo 2, pode não ser apenas gulodice, falta de força de vontade ou ausência de responsabilidade pessoal, mas sim apenas simples adição biológica.

Vários estudos anteriores já demonstraram que esta região do cérebro, o centro do prazer, é ativado em resposta a imagens ou pela ingestão de açúcar, alimentos processados ou de “plástico”.

Se você comparar um bolo de queijo com vegetais cozidos, existem muitas razões para que o centro de prazer seja ativado. Sabe melhor ou tem um aspeto melhor.

Este novo estudo realizou o trabalho duro de provar a biologia da adição do açúcar. Os investigadores realizaram um estudo aleatório, cego e cruzado, usando o esquema de investigação mais rigoroso para evitar quaisquer críticas (que irão surgir de forma natural da indústria alimentar milionária).

Os investigadores recrutaram 12 indivíduos obesos ou com excesso de peso com idades entre os 18 e os 35 e deram a cada um deles um batido de leite com pouco açúcar ou de baixo índice glicémico (37%), e depois, quatro horas mais tarde, eles registaram a atividade da região do cérebro (nucleus accumbens) que controla a adição. Eles também mediram os níveis de açúcar no sangue e a fome.

Depois, dias mais tarde, eles deram aos voluntários outro batido de leite. Mas desta vez eles trocaram os batidos. Eles foram concebidos de forma terem exatamente o mesmo sabor e serem exatamente iguais de todas as formas, excepto no nível e na rapidez com que fazia subir os níveis de açúcar no sangue.

O segundo batido de leite foi preparado de forma a ser rico em açúcar, com um índice glicémico elevado (84%). Os batidos tinham a mesma quantidade exata de calorias, proteína, gordura e de carboidratos. Os participantes não sabiam qual era o batido que estavam a beber e não havia qualquer diferença em termos de sabor, mas os seus cérebros conseguiram distinguir a diferença.

viciado doces
Os alimentos de alto índice glicémico e/ou muito doces, podem-se tornar viciantes.

Cada participante foi sujeito a um exame cerebral e a testes sanguíneos para a glucose e insulina após terem ingerido cada versão de batido de leite. Eles foram o seu próprio grupo de controlo. Sem exceções, todos eles obtiverem a mesma resposta.

O batido de leite rico em açúcar e de elevado índice glicémico provocou um aumento dos níveis de açúcar, de insulina e um aumento do nível de açúcar e de apetite quatro horas após a ingestão do batido.

Mantenha em mente que ambos os batidos continham exatamente o mesmo número de calorias, tinham o mesmo sabor, textura e conteúdo de macronutrientes.

Esta descoberta não foi surpreendente e já foi demonstrada muitas vezes antes.

Mas a nova descoberta foi:

Quando os voluntários ingeriram o batido de alto índice glicémico, o nucleus accumbens acendeu-se como uma árvore de natal. Este padrão ocorreu em todos os participantes e foi estatisticamente significativo.

O estudo demonstrou duas coisas:

  • Em primeiro lugar, que o corpo responde forma bastante diferente a calorias diferente, mesmo quando a quantidade de proteína, gordura e de carboidratos (e o sabor) é exatamente idêntica.
  • E em segundo lugar, que os alimentos que fazem disparar os níveis de açúcar no sangue não viciantes em termos biológicos.

Atualmente o açúcar é o principal ingrediente usado pela indústria alimentar para fazer com que mais ingredientes passem a saber bem (farinhas processadas e químicos). O consumo deste tipo de alimentos processados aumenta de ano para ano.

Aqui estão cinco indícios de que poderá estar viciado/a em açúcar, farináceos e alimentos processados:

  1. Consome certos alimentos mesmo quando não tem fome devido aos desejos.
  2. Preocupa-se em eliminar certos alimentos da dieta.
  3. Sente-se fraco ou cansado devido a andar a comer em demasia.
  4. Tem problemas de saúde ou sociais (que afetam a escola ou o trabalho) devido a problemas com a comida e no entanto continua a comer dessa forma apesar das consequências negativas.
  5. Precisa de uma quantidade cada vez maior dos alimentos que deseja, de forma a conseguir obter prazer ou reduzir as emoções negativas.

Se você é uma dessas pessoas cuja química cerebral, sentido de paladar e hormonas foram alteradas pelo consumo de produtos alimentares de origem industrial, então está na altura de parar de se culpar a si mesmo e consultar um nutricionista, que o irá ajudar a retornar ao seu estado natural, prescrevendo-lhe uma dieta adequada a si.

Referência!

5 Clues You Are Addicted To Sugar

Deixe uma resposta