O treino de musculação provoca perda de flexibilidade?

O treino de musculação provoca perda de flexibilidade?Uma das ideias mais divulgadas em relação ao treino de musculação, é que este faz com que os seus praticantes fiquem mais “presos” e inflexíveis.

De forma evitar isso, aconselha-se com frequência a realização de exercícios de alongamento para os grupos musculares exercitados.

No entanto, embora os exercícios de alongamentos sejam visto como a melhor forma de aumentar a flexibilidade, não são a única forma de o fazer.

De facto, existe uma forma muito simples de aumentar a sua flexibilidade sem ter que passar o dia todos a alongar os músculos. Esse método não implica adicionar mais nada ao seu programa de treino. De fato, o método até pode mesmo fazê-lo poupar tempo no ginásio.

O treino de musculação aumenta a flexibilidade

Por mais estranho que isto lhe possa parecer, o simples ato de treinar com pesos também pode melhorar a sua flexibilidade, ou até melhor ainda que as típicas formas de alongamento estático.

Estas são as surpreendentes descobertas de um estudo publicado no Journal of Strength and Conditioning Research (1).

Os participantes deste estudo foram divididos em três grupos. Num dos grupos, os voluntários realizaram alongamentos estáticos, noutro fizeram treinos com pesos e um outro grupo não fez nada (grupo de controlo). O estudo mediu a flexibilidade dos joelhos, ancas e ombros.

Após cinco semanas, os investigadores não encontraram vantagens significativas dos exercícios de estiramento em comparação com o treino de musculação.

De facto, alguns participantes do grupo de treino de musculação obtiveram um maior aumento da flexibilidade do que o grupo de estiramento.

Como exemplo, a figura abaixo mostra os resultados do teste de avaliação da extensão do joelho (KEA) no grupo do treino com pesos (RT), no grupo dos estiramentos estáticos (SS) e no grupo de controlo. A mudança da flexibilidade foi praticamente idêntica para ambos os grupos RT e SS.O treino de musculação provoca perda de flexibilidade?

Em todas as medidas de flexibilidade (extensão da anca, flexão da anca, extensão dos ombros, extensão dos joelhos), os investigadores não encontraram diferenças significativas entre o grupo dos exercícios de estiramento e o grupo do treino com pesos.

James R. Whitehead, um dos autores do estudo, afirmou:

Os resultados sugerem que os regimes de treino estruturados da forma correta, com os exercícios a serem realizados na sua amplitude completa de movimento, também podem melhorar a flexibilidade tão bem – ou talvez até melhor do que os regimes de estiramento estático comuns.

Por outras palavras, o treino de musculação, desde que realizado na amplitude completa de movimento, aumenta a flexibilidade.

O treino de musculação provoca perda de flexibilidade?

Os exercícios de musculação não só não diminuem, como na verdade aumentam o nível de flexibilidade.

Por isso, se já está a treinar com pesos, terá menos necessidade de incorporar exercícios adicionais de alongamento do que se pensava anteriormente (embora tenha sido demonstrado que aumenta os ganhos de força nos principiantes) (2).

Tenho que dizer que esta experiência foi apenas um estudo preliminar do tópico. O número de participantes (12 pessoas em cada grupo) foi bastante pequeno, e a duração curta da experiência (5 semanas) significa que não sabemos se o treino com pesos afeta a flexibilidade ao longo de um período mais longo de tempo.

No entanto, esta não é a única peça de informação que contradiz a o mito de que o treino de musculação provoca a perda de flexibilidade. Na realidade, já foi realizado um grande número de investigações acerca deste tema, e os resultados desta pesquisa estão de acordo com os de outras experiências (3, 4) que mostraram que o treino de musculação irá aumentar e não diminuir os seus níveis de flexibilidade.

Para além disso, estas descobertas não são específicas apenas para homens e mulheres jovens. Já foi demonstrado que o treino de musculação também aumenta a flexibilidade dos homens e mulheres idosos com idades entre os 60 e 70 anos (5,6).

Isto não quer dizer que deva parar completamente de realizar exercícios de alongamento. O seu período de tempo de alongamento irá depender das suas circunstâncias e das suas necessidades individuais.

No entanto, muitas das crenças em relação aos benefícios dos estiramentos não têm nenhum tipo de suporte científico. Foi demonstrado que os alongamentos têm pouco ou nenhum efeito na dor muscular, não parece fazer muito para prevenir as lesões e está muito longe de ser a única forma (ou até a melhor forma) de melhorar os seus níveis de flexibilidade.

 

Escreva um comentário