L-Arginina: o melhor suplemento “anti-envelhecimento”

L-Arginina: o melhor suplemento "anti-envelhecimento”Se já passou dos quarenta anos de idade está a começar a notar sinais de envelhecimento, então, de acordo com o bioquímico egípcio Mohamed  Gad, existe uma forma muito simples de restaurar parte da sua juventude e vitalidade.

Tome 5 g L-arginina todas as noites antes de ir para a cama, e o seu corpo irá em breve começar a funcionar melhor.

A L-Arginina é um complemento interessante, Gad escreveu um artigo de revisão que vale a pena ler. É o precursor do “bom” radical livre NO, e o composto tem tantas funções positivas no corpo que os investigadores consideram a L-arginina um aminoácido “semi-essencial “. Embora o corpo sintetize L-arginina através da conversão de outros aminoácidos, os 2,5-5 g de L-arginina que nós consumimos diariamente através da nossa dieta quase não é o suficiente.

Aqui está uma amostra de uma lista aleatória, de maneira completa dos efeitos positivos da L-arginina: os estudos mostraram que doses de vários gramas de L-arginina dilatam os vasos sanguíneos, em resultado do qual os rins funcionam melhor. A L-arginina reduz a concentração de colesterol LDL “mau”.

A L-arginina estimula a produção de células de esperma e melhora o funcionamento sexual em alguns homens que têm problemas de impotência. A L-arginina ajuda o epitélio do estômago a proteger-se a si mesmo, pode ajudar a reduzir o nível de ácido no estômago e acelera a recuperação de úlceras estomacais.

A L-arginina também ajuda a curar as feridas mais rapidamente. Isto acontece em parte porque a L-arginina converte-se em L-ornitina, que por sua vez se converte em L-prolina.A  L-Prolina é um precursor do colagénio, um componente importante do tecido conjuntivo.

Igualmente importante é – mais uma vez – o óxido nítrico. O óxido nítrico activa o sistema imunológico, inibe reacções inflamatórias e aumenta o fornecimento de sangue para os tecidos que necessitam de reparação.

Por ultimo, mas não menos importante, estudos realizados em animais e um pequeno estudo realizado em humanos mostraram que um cérebro envelhecido funciona melhor o com a suplementação com L-arginina, possivelmente porque o ON estimula a produção do neurotransmissor glutamato no cérebro.

No papel, L-arginina é uma substância anti-envelhecimento perfeita. Dado que os investigadores pretendiam verificar se o aminoácido é tão bom na realidade como é no papel, Gad administrou a 21 homens e mulheres, com idades entre 41 e 75, uma dose diária de 5 g L-arginina antes de dormir, durante um período de quatro semanas.

Os indivíduos do teste não eram particularmente saudáveis. 18 deles tomavam “medicamentos para controlar a hipertensão, ou isquemia do miocárdio, diabetes, doença do refluxo gastro-esofágico (DRGE) e hiperacidez, hipotiroidismo, neurite, ou artrite reumatóide”.

A tabela abaixo mostra como os indivíduos reagiram ao suplemento. A lista mais abaixo resume as observações dos voluntários.

  1. Ajustamento da pressão arterial na hipertensão moderada.
  2. Níveis mais elevados de energia de manhã, ao acordar.
  3. Mais clareza mental.
  4. Mais resistência física e resistência à depressão e ansiedade.
  5. Aumento da excreção de urina.
  6. Melhoria da dureza e crescimento das unhas e cabelo.
  7. Melhoria da textura e aparência da pele.
  8. Aumento dos sonhos nocturnos.
  9. Melhoria da circulação e temperatura das extremidades.
  10. Redução da hiperacidez.
  11. Melhoria geral do sistema digestivo e defecação.
  12. Melhoria das actividades mais vitais, grandemente afectadas na diabetes incluindo: redução da neurite, melhoria do metabolismo da glucose, melhoria da libido e desempenho sexual e ajustamento do peso corporal.

Infelizmente, não existiu um grupo de controlo. Mas Gad chama-lhe um estudo piloto, e está entusiasmado com os resultados. E não é o único. No final da experiência, todos os 21 voluntários queriam continuar a tomar o suplemento.

No seu artigo, Gad concluiu:

“Os já provados benefícios anti-envelhecimento da l-arginina são mais promissores do que qualquer agente farmacêutico ou nutracêutico já descoberto anteriormente.”

Referência!

Se gosta dos nossos artigos, pode subscrever a nossa newsletter!

28 Comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *