Ingredientes comummente adicionados à creatina

Ingredientes comummente adicionados à creatina Neste artigo, vamos discutir alguns ingredientes comuns que pode encontrar no seu suplemento de creatina.

Esta não é uma lista completa, mas deve abranger muitas das formulações de base no mercado. A creatina é vendida frequentemente em complexos que são preenchidos com “outros” ingredientes.

Amido de milho ceroso (Waxy Maize)
Este é um bom amido que realmente ajuda a introduzir água e creatina nas células musculares. Parece funcionar muito bem em proporcionar volumização de acordo com relatos.

Existem diversas variantes deste amido, mas é muito bom para aumentar o potencial de creatina e ajuda-lo a sentir-se  “cheio”, o que, temos de reconhecer, é por esse motivo que as pessoas  adoram a creatina.

Ainda assim, esta é apenas outra fonte de carboidratos que é lentamente metabolizado em glicogénio muscular, não é nada de revolucionário.

Glicociamina
Este é uma espécie de precursor de creatina. tem sido usada há muitos anos e, muito sinceramente, não parece fazer muito além do que a comum creatina já vai fazer por si e tem um efeito menor. Também foi acusada de causar danos a outros tecidos e aumentar as proteínas prejudiciais no organismo.

Assim, muitas vezes, têm betaina incluídos para ajudar a inibir as proteínas celulares que causam danos e reduzir os níveis de ROS. Provavelmente não é uma coisa boa para adicionar à sua creatina, uma vez que parece ser apenas um gasto de dinheiro desnecessário e pode aumentar os níveis de homocisteína.

Guanidino ácido propiônico (ACP)
O ACP pode ser utilizado em fórmulas de creatina para ajudar a aumentar a sensibilidade à insulina e também fornece algum benefícios ergogénicos por si só.

No entanto, foi demonstrado que o GPA pode causar alguns danos aos tecidos, porque reduz a produção de energia celular (o oposto do que a creatina faz). Isto torna-o bastante útil para emagrecimento, mas é, logicamente, contra-produtiva a sua combinação com a creatina.

Ácido alfa-lipóico (ALA)
Isso ajuda a aumentar a sensibilidade à insulina e, juntamente com o açúcar, ajuda a introduzir a creatina nas células. É um bom ingrediente que tem um lugar justificado nos produtos que contêm uma grande quantidade de açúcar.

4-hidroxi-isoleucina
Este é um mimético da insulina, que ajuda a introduzir açúcar e creatina nos músculos. Ao contrário do ALA, o que aumenta a sensibilidade à insulina, este composto funciona realmente como a insulina, introduzindo o açúcar nos músculos.

Momordica
Este extracto de melão amargo é outro” imitador” de insulina que ajuda a introduzir mais nutrientes para os músculos. É um pouco melhor que os outros, uma vez que introduz tanto os aminoácidos como os açúcares no músculo. Os outros produtos apenas auxiliam o transporte para o músculo, por isso isto é uma grande vantagem.

Cafeína
Irá encontrar cafeína em muitas fórmulas para ajudar a aumentar a “sensação” do produto. Esta não é uma boa ideia, mas as pessoas fazem isso para dar-lhe algo que contribui para o efeito de estimulação de um suplemento.

D-Pinnitol
Este é outro produto que imita a acção da insulina, que pode aumentar a fase de carga de creatina e actuar como a insulina.

Extracto de Canela (Cinnulin PF (TM))
O extracto de canela tem também efeitos “imitadores” da insulina muito bons,  que pode ser uma boa combinação com creatina e açúcares.

Peak ATP (TM)
Istoé, literalmente, ATP, fonte de energia principal do organismo. A Adenosina Tri-fosfato é rapidamente degradada nos intestinos, por isso, pouco ATP oral, se é que algum, chega a entrar na corrente sanguínea. Dito isto, pode ajudar pela adição de pequenas quantidades de Adenosina e fosfatos.

O ATP é carregado pela creatina durante o processo celular. Então, não é uma má ideia tomar algum em combinação com a sua creatina. No entanto, na minha opinião, as quantidades presentes nos suplementos desportivos não são realmente suficientes para fazer algo de positivo.

Soros Líquidos
Este é um daqueles produtos que simplesmente nunca irá morrer, não importa o que as pessoas tentem fazer para o matar. As pequenas quantidades de creatina são insignificantes e não há motivo nenhum para acreditar que a creatina contida não se degrade rapidamente em ingredientes inertes.

Tal como uma má corrente de e-mails, este produto não irá desaparecer, pois tem um sabor a sumo de fruta e parece-se com algo fixe e interessante. Eu não compraria esses produtos de creatinas líquidas, independentemente de qual seja a nova versão à venda.

IP6 – Hexaphospate Inositol
IP6 é simplesmente a pseudo-vitamina A, Inositol, com 6 fosfatos ligado a ela. Este é realmente um ingrediente muito bom que proporciona benefícios adicionais ao fosfato de creatina, fornecendo os muito necessários fosfatos em conjunto com IP6, que é, só por si, uma ajuda ergogénica muito boa.

A única desvantagem do IP6 é o seu custo, o que torna difícil incluir a quantidade suficiente para o tornar para a maioria das misturas de creatina.

Aminoácidos – Exemplo: Leucina Taurinate
Esta é simplesmente apenas a junção de dois aminoácidos que podem ou não proporcionar mais benefícios em comparação aos aminoácidos simples. Estes aminoácidos normalmente não têm nenhuma ciência que apoie as suas afirmações e são muitas vezes  incorporados em pequenas quantidades nas fórmulas para tornarem o suplemento mais atraente.

Muitas vezes, estes ingredientes são apenas a junção de dois aminoácidos conhecidos, com a esperança de que esse nome interessante lhe provoque um efeito “wow”.

Os péptidos quando projetados corretamente têm uma boa possibilidade de serem melhores do que os aminoácidos simples, mas não quando são apenas incorporados em doses mínimas para tornarem a fórmula mais “especial”.

As misturas de creatina podem ter bastantes ingredientes, mas se precisar de um microscópio para lê-los, então eles, provavelmente, não serão nada de especial.

Dextrose
Este é apenas um açúcar comum, que é muito fácil digerir. É uma boa fonte de energia e deve proporcionar um pico de insulina de forma a introduzir “mais” de creatina no seu organismo.

Maltodextrina
Esta é apenas uma combinação de glicose e maltose. Segundo muitos especialistas, não é uma fonte de carboidratos muito boa, uma vez que a maltose torna-se um carbohidrato praticamente inutilizável até que seja mais metabolizada.

Há informações que mostram que a maltodextrina é um carbohidrato de IG mais baixo, razão pela qual ela está incluída em muitas fórmulas.

Infelizmente, não é realmente muito melhor do que o açúcar para reduzir a carga de insulina e é pior para reabastecer as fontes de carboidratos. Não faço ideia por que motivo isto se tornou tão popular, excepto que este é este é mais um produto das “lendas urbanas”.

 

Escreva um comentário