O exercício aumenta o apetite?

O exercício aumenta o apetite?Algumas pessoas afirmam que a prática de exercício físico é inútil para quem quer perder peso porque estimula o apetite e as pessoas acabam por compensar as calorias que perderam enquanto treinavam, mas será verdade?

O exercício não aumenta o apetite a curto prazo

Já foram realizados vários estudos em relação a este tema, sendo que alguns podem indicar um aumento, uma diminuição ou a ausência de efeitos na ingestão de comida e apetita até 24 horas.

Numa revisão publicada recentemente no Medicine and Science in Sports and Exercise, apenas 2 dos estudos de intervenção mostraram um aumento da ingestão de energia após o exercício; 6 não mostraram mudanças enquanto 2 mostraram até mesmo uma diminuição do apetite (1).

John Blundell, Professor de biopsicologia da Universidade de Leeds afirmou:

Existe a crença de que a atividade física aumenta o apetite e a ingestão de comida, tornando-a assim inútil como método de controlo de peso.

No entanto não existem provas de um efeito imediato ou automático.

O exercício pode aumentar o apetite a longo prazo

Embora não existam provas de aumento do apetite devido ao exercício a curto prazo, a coisa muda de figura a seguir a uma ou duas semanas de prática de exercício regular.

Quando as sessões de exercícios são repetidas por períodos de tempo mais prolongados, os investigadores foram capazes de capturar os primeiros estágios de uma mudança na ingestão de calorias, em que começa a surgir uma “resposta compensatória” parcial.

Num estudo realizado em 2008, 16 dias de exercício geraram uma compensação de 30% na ingestão de calorias. Isto é, por cada 100 calorias queimadas via exercício, os voluntários ingeriram uma média de mais 30 calorias do que o normal (2).

Assim sendo, a prática de exercício físico parece aumentar a sensibilidade do seu “sistema de controlo do apetite”.

Qual é a quantidade de exercício que inicia a “resposta compensatória”?

Isso depende imenso de pessoa para pessoa com base no género, idade, o tipo de treino que faz, o tipo de dieta que segue, bem como o seu nível de motivação.

Num estudo realizado em 2009, não houve resposta compensatória em voluntários que realizaram entre 72 a 134 minutos de exercício cardiovascular de baixa intensidade por semana, distribuídos ao longo de 3-4 treinos semanais. A quantidade de peso perdido em ambos os grupos foi quase exatamente a mesma que tinha sido prevista com base na quantidade de exercício que realizaram (3).

Foi só nos participantes que realizaram cerca de 194 minutos de exercício por semana que a resposta compensatória surgiu e a perda de peso foi mais ou menos metade da que deveria ter ocorrido.

Exercício

O efeito do exercício físico no apetite pode variar imenso de pessoa para pessoa.

Mas mesmo neste grupo houve um grande grau de variação individual. 3 de 10 voluntários foram capazes de completar os treinos mais longos sem comer mais.

Num estudo similar, 30 minutos de exercício (300 calorias) por dia durante 13 semanas não conduziram à supercompensação, e os voluntários perderam a quantidade de gordura prevista (4).

Mas aqueles que se exercitaram durante 60 minutos (600 calorias) por dia, na realidade perderem menos gordura do que o grupo dos 30 minutos, o que os investigadores atribuem a um grau pequeno mas quantificável de compensação.

Conclusão

É claro que o fato de sentir mais ou menos vontade de comer não significa necessariamente que vá comer mais ou menos. Já se sabe que é necessário ter força de vontade e capacidade de organização para seguir dietas.

Embora o exercício possa aumentar o apetite e a intensidade da fome com que começa uma refeição, a quantidade de alimentos que você acaba na realidade por ingerir é altamente influenciada pela densidade de energia e pelo conteúdo de proteína dos alimentos.

É bastante fácil ingerir 500 calorias de alimentos como bolachas, pizza ou gelados, e ainda assim sentir vontade de comer mais. Mas é um bastante mais difícil ingerir 500 calorias de batata-doce ou de fruta.

Resumindo, o exercício tem o potencial de afetar o nível de apetite e a ingestão de comida, mas o seu efeito pode variar imenso de pessoa para pessoa. Sendo que algumas irão sentir um aumento do apetite e irão passar a comer mais, enquanto outras podem passar horas a fio a treinar sem notarem qualquer aumento do apetite.

Referência 1|2|3|4

 

Escreva um comentário