De que são feitos os cubos da Knorr, E porque os deve evitar

De que são feitos os cubos da Knorr, E porque os deve evitar Tendo em conta que nos dias de hoje o maior objectivo da industria alimentar é obter os maiores rendimentos possíveis para distribuir aos seus accionistas, não deveríamos ficar surpreendidos ao tomar conhecimento das autênticas porcarias que se vendem hoje em dia nos estabelecimentos comerciais.

Um desses produtos que captou a minha atenção há poucos dias, foi uma embalagem de cubos “caldo de galinha” da Knorr. Esse e outros produtos da marca, estão presentes em praticamente todas as lares portugueses e em boa parte do mundo. Mas de que são feitos? Porque são constituídos? Eis a questão que remexeu a mente curiosa e algo impetuosa do autor deste artigo.

Vejamos os ingredientes desta assustadora criação da indústria alimentar

Ingredientes: Sal, intensificadores de sabor (glutamato monossódico, inosinato e guanilato dissódicos), gordura vegetal hidrogenada e não hidrogenada, extracto de levedura, amido modificado, gordura de galinha, vegetais (cebola, salsa), carne de galinha (0,7%), aromas (contém ovo e soro de leite), especiarias, molho de soja (contém glúten), corante (E 150c), dextrose, antioxidantes (galato de propilo, BHA, ácido cítrico).

Gordura hidrogenada

O primeiro ingrediente da lista que me chamou a atenção, foi a gordura vegetal hidrogenada, que na minha opinião, já há muito tempo deveria ter sido banida do mercado alimentar. Muito embora possa ter um nome aparentemente inocente, de inocente não tem nada.

Embora exista na natureza, estando presente em pequenas quantidades na gordura e leite dos animais, sem que o seu consumo seja prejudicial, a forma produzida de forma industrial pelo homem (com uma forma diferente) é o tipo de gordura mais nocivo em existência.

A gordura vegetal hidrogenada também é chamada de gordura “trans”, para ler mais acerca dos efeitos negativos para a saúde deste tipo de gordura artificial, leia também o artigo “O que são as gorduras trans e porque as deve evitar”.

Pode desde já ficar a saber que a gordura hidrogenada está associada a diversos problemas e complicações de saúde como; problemas cardiovasculares, mau perfil lipídico, alzheimer, cancro, diabetes, Obesidade, problemas hepátticos e obesidade.

Se é um indivíduo que se preocupa com a sua saúde, mantenha-se o mais afastado possível deste autêntico veneno.

Glutamato monossódico

Em relação aos intensificadores de sabor, irei falar primeiro do glutamato monossódico, que embora seja considerado pela industria alimentar e respectivas agências reguladoras como sendo “seguro”, no passado, já foi associado à “Síndrome do Restaurante Chinês”. Cujos sintomas incluem dor de cabeça (cefaléia), ondas de calor, vermelhidão facial, formigamento e rigidez na parte posterior do pescoço, opressão torácica, moléstias gástricas como náuseas e vómitos, taquicardia e alterações de humor.

Para além disso, têm surgido, esporadicamente, especulações acerca da relação entre a ingestão de MSG e doenças degenerativas cerebrais tais como o Alzheimer, Isquemia e Parkinson. Também tem sido sugerido que o MSG é responsável por uma série de condições de saúde como a hiperatividade em crianças, obesidade, reações alérgicas, asma, cancro e enxaqueca.

Guanilato disódico

O segundo ingrediente do grupo dos intensificadores de sabor, o guanilato disódico é um aditivo alimentar e é normalmente usado em sinergia com o ácido glutâmico (glutamato monossódico, MSG). produzido a partir do peixe seco ou determinadas algas e é frequentemente adicionado a produtos prontos a consumir, como o massa instantânea, batatas fritas e outros aperitivos salgados, arroz industrializado com sabor, vegetais enlatados, carnes secas e caldos de carne, sopa enlatada ou desidratada, etc

Em relação ao terceiro ingrediente do grupo dos intensificadores de sabor, o guanilato disódico 2, este não é seguro para bebês com menos de doze semanas, e deve ser evitado por asmáticos e pessoas com gota, já que os guanilatos são metabolizados em purinas.

Podemos partir do princípio que, se não é seguro para bebés, também não deve fazer muito bem às crianças, adultos e idosos.

Nota: Uma vez que muitas vezes é produzido a partir de peixes, os vegans e vegetarianos podem querer evitá-lo.

Glúten

Outro ingrediente que salta à vista por ser prejudicial, é o glúten (3), a evitar a todo o custo pelos celíacos por não tolerarem esse tipo de proteína de cereais e também pelos não celíacos. Pois vindo cada vez mais a ser associado a uma série de doenças auto-imunes tais como a diabetes tipo 1 (DT1), doenças auto-imunes da tiróide, síndrome de Sjögrene nefropatia IgA, entre outras.

Para além disso, há alguns trabalhos a implicarem directamente o glúten (ou algumas das suas fracções proteicas, como as gliadinas) na artrite reumatóide, síndrome de Sjögren, esclerose múltipla, psoríase, nefropatia IgA67 e DT1.

Poderá ler mais acerca dos malefícios do glúten no artigo “Sensibilidade ao glúten: A doença celíaca é a ponta do iceberg”.

Corante E 150c

A cor típica dos cubos Knorr devem-se sobretudo ao corante E 150c (4), e o que será este estranho número? Pois é na verdade caramelo de amónia, um aditivo corante alimentar. Possui uma cor líquida castanho escuro a preto, tendo um odor de açúcar queimado. É preparado através aquecimento de hidratos de carbono, com ou sem ácidos e álcalis, na presença de compostos de amónio.

A sua ingestão excessiva pode conduzir a problemas intestinais. Também está associada ao reduzido ganho de peso corporal, à redução do consumo de alimentos e de fluídos, ao, o alargamento do ceco, redução do débito urinário associada com o aumento da gravidade específica da urina, diarreia e aumento no peso dos rins* . Induz a linfopenia e suprime a imunidade em ratos.

Galato de propilo

Na lista dos antioxidantes, temos o galato de propilo, um nome que poucos conhecem, ora vejamos de que se trata:

O Galato de propilo, ou 3,4,5-trihidroxibenzoato propil ,é um éster formado pela condensação de ácido gálico e propanol. Este antioxidante tem vindo a ser utilizado como aditivo alimentar, nos alimentos industriais que contêm óleos e gorduras, para evitar a sua oxidação.

Para além disso, o que muito poucos sabem é que o galato de propilo age como um antagonista do estrogénio. Isto segundo um estudo realizado em 2009.

Se os seus objectivos são perder gordura e ganhar massa muscular, este é um dos tipos de substâncias que deve evitar a todo o custo, pois irão totalmente contra os seus objectivos.

Se para além disso não lhe apetece ingerir estrogénios sintéticos ou xenoestrogénios, não toque sequer nestas embalagens.

BHA

Em segundo lugar, no grupo dos antioxidantes, temos o BHA. Um excelente antioxidante que previne a oxidação das gorduras…

…  Mas as mesmas propriedades químicas que tornam o BHA um excelente conservante, podem também estar relacionadas com certos efeitos negativos na saúde. As características oxidativas e/ou metabolitos do BHA, podem contribuir para a carcinogenicidade ou tumorigenicidade, porém as mesmas reações podem combater o stress oxidativo. Há evidências de que determinadas pessoas podem ter dificuldade em metabolizar o BHA, resultando em mudanças de saúde e de comportamento.

Outras substâncias

Não cheguei sequer a falar do molho de soja presente e de como a soja e derivados contêm compostos com actividade estrogénica, da qual especialmente os homens, devem manter-se o mais afastados possível. Também não falei da dextrose presente no produto e tambem nao me parece necessario, pois a maioria de nós já sabe que se devem evitar os açucares simples aka calorias vazias.

Antes de surgir a industria alimentar, as pessoas nem sequer conheciam os cubos Knorr e cozinhavam muito bem sem eles. Aprenda a utilizar condimentos, especiarias, ervas e comece desde já a deixar de lado esta criação industrial carregada de químicos, que não lhe irá fazer nenhum favor à sua saúde, composição corporal e bem estar físico.

 
32 Comentários

Escreva um comentário