Culturista sem pernas, uma inspiração

Culturista sem pernas, uma inspiraçãoO homem mais duro desde Leroy Brown , tem bíceps construídos por um pedreiro, uma amiga que deixa transeuntes de boca aberta, a arrogância de um ponta-de lança – e não tem pernas.

Tyler Carron, de 21 anos, perdeu as pernas num acidente de automóvel muito mediático em Janeiro de 2007. Mas o mês passado, ele foi nomeado para a equipa EUA do hóquei nacional de hóquei em trenó, tal como foi Nikko Landeros, seu amigo, que também perdeu as pernas no mesmo acidente.
E sábado, em Loveland, Carron participou na competição de culturismo “Warrior Classic” (após três meses de treino intenso e três demãos de spray de bronzeamento corporal).

Os culturistas exibem os seus músculos numa apresentação com um minuto de duração acompanhada por música; Carron, orgulhosamente em cima das suas pernas de prótese, escolheu uma canção apropriadamente intitulada de “Super Beast”. Ele terminou em quinto de cinco, o que não soa tão bem até você considerar, como ele explicou, que alguns dos pontos são concedidos para os músculos das pernas.

Tyler em plena competição no “Warrior´s Classic 2010.

Depois, os funcionários trouxeram Carron ao palco para uma apresentação surpresa especial – o “Coração de um Guerreiro” prémio pela sua determinação e inspiração.
“Gosto de ser uma inspiração para outras pessoas, fazendo o que as pessoas normais fazem”, disse ele na sua casa em Fort Collins. “Há por aí muita gente que não tem uma atitude positiva…. Tem tudo a ver com a resistência mental. Ser confiante consigo mesmo. Eu não tenho pernas, mas seja como for. Eu faço as mesmas coisas que eu fazia. E ainda me sinto confiante com as mulheres. “

Acidente horrível e o que se seguiu

Ao ouvir os detalhes do acidente de Carron, até mesmo o diabo estremeceria. Naquela noite de Janeiro, Carron era estudante do liceu – e atleta de wrestling – quando ele e Landeros foram tirar um pneu sobressalente da bagageira de um automóvel, estacionado ao lado da estrada “Larimer County Road 17”.

E foi então que aconteceu. Um carro atingiu os dois amigos, imobilizando-os.

Imagine, como explicou Carron, o desamparo terrível de estar na cama do hospital – a querer saltar e fugir da dor. Mas ele estava preso, um rapaz de 17 anos, sem pernas.

Nos meses que se seguiram, ele encontrou forças na sua família, nos seus amigos, em si mesmo.

Ele afirmou: “Eu comecei a perceber a sorte que tinha em estar vivo”..

Agora ele já compreende o que significa aproveitar. Ele sorri mais. Passa férias em Las Vegas. Trabalha dois dias por semana na casa de seus pais – Bar Bruce, famosa pela ostras Rocky Mountain – e ele é também dono de máquinas “vending” e máquinas de café em torno da cidade. Ele vai para o lago com seus amigos e a sua namorada, Monica Stashak, e é muitas vezes o primeiro a tirar a camisa e ir wakeboard. E embora tivesse medo de usar calções, devido às pernas de prótese, Carron agora nem sequer usa um par de calças.

“Quando o acidente aconteceu pela primeira vez, eu afirmava – nunca irei usar calções de novo”, disse ele. “Agora, é tudo que uso…. E é mais fácil de andar sem calças. No começo, eu tinha vergonha de não ter pernas. Mas agora, há uma mentalidade diferente. Você tem que seguir em frente com sua vida… . Esta é a pessoa que eu sou. “

Em abril, inspiração encontrou inspiração. Carron foi introduzido ao culturismo pelo culturista Michael Alexander, que colocou Carron num programa de musculação, na preparação para o “Warrior Classic”.

O treino de musculação ajuda-o no jogo hóquei em trenó

Isto também ajudou Carron no hóquei em trenó, no qual o atleta se senta em um trenó com duas lâminas de skate por baixo, enquanto segura um taco de hóquei em cada mão – os tacos servem tanto para as manobras do trenó como para controlar o disco.

Tyler em pleno jogo de hóquei em trenó.

“A musculação ajuda porque você tem que impulsionar-se com os braços”, disse Landeros. “E isso ajuda a empurrar as pessoas á volta.”

No ginásio “Anytime Fitness” em Fort Collins, é possível encontrar Carron a fazer supino com um halter de 70 libras em cada mão, um feito surpreendente para a maioria das pessoas, nomeadamente alguém que não pode usar a força de apoio das pernas.

Na academia, ele vê vislumbres de pessoas a olhar para ele. Carron sabe que é diferente, mas quanto mais ele treina, mais se torna ele mesmo. Há um veterano do Vietnam com 70 anos que também perdeu as pernas e também treina aqui. O homem pára entre as séries e diz algumas palavras, e “faz-me sentir bem comigo mesmo”, disse Carron. “Eu ainda estou a seguir em frente com minha vida e não a ser um vagabundo em casa.”

Perguntaram a Carron se perder as pernas influenciou o seu desejo de tornar a sua parte superior do corpo tão grande e forte quanto possível.

O homem mais duro da cidade sorriu e disse: “Você tem que parecer bem com aquilo que tem, certo?”

Fonte!

 

Escreva um comentário