Correr uma maratona diminui os níveis de testosterona para metade

Correr uma maratona diminui os níveis de testosterona para metadeCorrer uma maratona é um assalto para o seu corpo. Até o final de uma maratona, os níveis de cortisol dos homens duplicaram e os seus níveis de testosterona diminuíram para metade, de acordo com um estudo feito na Universidade Federal de São Paulo, e publicado em 2006 “Arquivos Brasileiros de Endocrinologia e Metabologia”.

Os investigadores monitorizaram a saúde de vinte homens com idade entre os 25 e 42 por vários dias antes, durante e depois de correrem os 42,2 km. Os pesquisadores mediram os níveis de hormonas e os marcadores de lesão muscular do sangue dos indivíduos.

A figura abaixo mostra os níveis de cortisol de testosterona dos voluntários dois dias antes da corrida [antes], logo após o fim [final] e um dia depois [apos]. Todas as medições foram feitas na mesma altura do dia – pela manhã.

Tabela 1

Imediatamente após o término da maratona, o nível de testosterona dos voluntários desceu para metade, caindo de 673 para 303 ng / dl. O nível de cortisol aumentou de forma acentuada, 20,3-42,5 microg / dl. Embora o nível de testosterona não tenha atingido completamente o seu nível inicial, em termos estatísticos, houve uma recuperação completa.

Os pesquisadores também consideraram isto uma recuperação completa, mas eles basearam as suas conclusões principalmente na relação entre o cortisol catabólico e a testosterona anabólica.

Porque, um dia depois da corrida, o nível de cortisol também não tinha retornado completamente para o nível inicial, a relação de cortisol para testosterona estava ao mesmo nível do início.

Tabela 2

Os pesquisadores também mediram as concentrações das enzimas LDH e CK. Quanto maior os níveis destes, maior a quantidade de lesão muscular em um corpo. Imediatamente após a corrida as concentrações tinha aumentado consideravelmente, e um dia depois, eles foram ainda maiores.

No seu estudo os brasileiros concluíram:

A corrida de maratona causa um intenso stress físico, resultando num desequilíbrio hormonal e em lesões celulares severas.

Será que um suplemento para diminuição do nível cortisol e potenciador dos níveis de testosterona como a fosfatidilserina poderia ser de ajuda para os corredores de maratonas? E em relação ao treino de musculação? Ou a uma dieta contendo mais gorduras saudáveis?

Referência!

 

Escreva um comentário