Aumento de peso por ingestão de mais proteína: mais massa corporal magra e não mais gordura

Aumento de peso por ingestão de mais proteína: mais massa corporal magra e não mais gorduraAs pessoas que não praticam exercício e que ingerem mais calorias do que as que gastam, engordam. A curto prazo, a quantidade de gordura corporal que ganham não irá diminuir se começarem a obter mais energia a partir de proteínas.

Mas uma dieta rica em proteínas irá ajudá-las a desenvolver mais massa muscular. Isto segundo o que escreveram investigadores do “Pennington Biomedical Research Center em JAMA”.

O estudo de George Bray está causar uma comoção no mundo da internet. Will Brink e Colin Champ escreveram sobre isso nos seus blogs, e o resumo do estudo foi colocado em praticamente todos os fóruns sobre fitness, culturismo, musculação, perda de peso e de dieta do paleolítico.

Os investigadores recrutaram 25 mulheres com idades entre os 18 e 35 anos, com um IMC entre os 19 e 30 anos, e determinaram a quantidade de calorias por dia que necessário para manter o seu peso estável. Em seguida, administraram às mulheres mais 954 calorias por dia do que as que gastavam, durante oito semanas, para que as mulheres ganhassem peso.

Os investigadores dividiram as mulheres em três grupos. O grupo da dieta com baixo teor de proteína recebeu 5 por cento de proteína, o grupo da dieta com quantidade de proteína normal recebeu 15 por cento de proteína na sua dieta, e o grupo da dieta rica em proteína, recebeu 25 por cento.

No final das oito semanas, parecia que o grupo da dieta com baixo teor de proteína tinha obtido os melhores resultados. Eles tinham “ganho” apenas 3,6 kg. As voluntárias da dieta com quantidade de proteína normal, tinha ganho de 6,1 kg e as voluntárias da dieta rica em proteína tinham ganho 6,5 kg. Mas quando os investigadores analisaram as mudanças na composição corporal, o quadro mudou.

As mulheres de todos os três grupos ganharam 3,5 kg de gordura corporal. Mas quando se trata de massa corporal magra, as mulheres do grupo da dieta baixa em proteína tinha perdido 0,7 kg, as mulheres do grupo da quantidade de proteína normal, ganharam 3,2 kg e as mulheres do grupo rico em proteína ganharam 4,0 kg.

Tabela 1

Tabela 2

Tabela 3

Tabela 4

A quantidade de energia que as mulheres do grupo da dieta baixa em proteína gastaram manteve-se estável, nos outros dois grupos, a quantidade aumentou.

O estudo mostra que o lema “uma caloria é uma caloria” nem sempre é verdade. Claro que o número total de calorias determinou a quantidade de gordura que as voluntárias acumularam. Mas se analisar a ingestão de proteína, não irá ver essa relação. A maior ingestão de proteína resultou num aumento da massa corporal magra, e não foi associada ao aumento da massa adiposa.

Tabelas 5 e 6

As voluntárias que participaram não realizaram nenhum tipo de exercício. Se elas tivessem praticado musculação, os resultados podem ter sido ainda melhores. E se o estudo tivesse tido uma duração maior, os investigadores poderiam ter visto que a massa adiposa do grupo da dieta rica em proteína na verdade tinha diminuído.

Esta foi a primeira vez que os investigadores analisaram indivíduos que ganharam peso e analisaram o efeito de diferentes concentrações de proteína.

Referência!

 
Um comentário

Escreva um comentário