A leucina aumenta o efeito anabólico da refeição pós treino em 16%

A leucina aumenta o efeito anabólico da refeição pós treino em 16%Biologistas da Universidade de Maastricht na Holanda, enquanto realizaram experiências com 8 estudantes, descobriram que um batido pós treino com proteína whey e carboidratos simples, desenvolve mais proteína muscular se adicionar leucina.

Os investigadores colocaram os voluntários, que nunca tinham realizado treino de musculação, a treinar pernas três vezes por semana, com prensa de pernas e extensões de pernas. Imediatamente a seguir à secção de treino receberam um batido com 250 ml de uma bebida desportiva, meia hora mais tarde outra, e outra meia hora mais tarde outra – e por ai adiante, até os voluntários terem ingerido um total de 11 bebidas, durante um período de 6 horas.

Numa ocasião, a bebida desportiva continha apenas carboidratos, noutra ocasião, carboidratos e proteína whey, e ainda noutra ocasião, carboidratos, proteína whey e uma dose elevada de leucina.

Tabela 1

Para sermos mais exactos: os investigadores deram aos voluntários, 3ml de bebida desportiva por Kg de peso corporal, a cada meia hora. Por isso, se pesa 100 Kg, teria de beber um total de 3.3 litros de bebida desportiva, contendo 110g de proteína, 53g de leucina e 165g de carboidratos.

Os investigadores pretendiam descobrir se a leucina traria algum benefício adicional quando já se ingere proteína e carboidratos após a secção de treino. E descobriram que parece proporcionar benefícios. Extraíram amostras de células musculares dos voluntários, e mediram a síntese de proteína muscular durante as primeiras seis horas após a secção de treino.

Tabela 2

A adição de leucina causou um grande aumento do nível de insulina. A figura abaixo mostra a quantidade total de insulina no sangue durante as primeiras 6 horas a seguir á secção de treino.

Tabela 3

A quantidade de leucina que os investigadores administraram aos voluntários foi alta, como pode ver nas medidas das amostras de sangue. A concentração de leucina foi dez vezes maior do que a dos outros aminoácidos.

Tabela 4

Os investigadores concluíram:

A ingestão adicional de leucina em forma livre, em combinação com proteína e carboidratos, represente, provavelmente, uma estratégia eficiente para aumentar o anabolismo muscular após o treino de musculação.

O estudo proporciona provas de principio, e mostra que é possível potenciar o anabolismo muscular pós-treino se adicionar leucina à proteínas que consome. Os investigadores não especificaram a quantidade de leucina que tem de usar, embora o estudo sugira que terá de pensar em grandes quantidades.

Referência!

 
Um comentário

Escreva um comentário