A cura da fadiga adrenal

A cura da fadiga adrenalO Teste

Responda sim ou não às seguintes questões:

  1. Passa todas as manhãs envolto numa “névoa” e simplesmente não consegue acordar sem cafeína em excesso.
  2. Sente-se frequentemente oprimido.
  3. Tem dificuldade em adormecer ou em dormir à noite.
  4. Sente-se excepcionalmente irritadiço, sensível ou frustrado.
  5. Está apático na maior parte do dia.
  6. Quando fica doente leva muito tempo para se recuperar.

Respondeu sim a alguma destas questões? Estes são os sintomas mais comuns da fadiga adrenal, um assunto controverso praticamente ignorado pela comunidade médica, mas uma condição muito real que requer sua atenção… especialmente se respondeu sim à maioria das questões.

À medida que vamos ficando cada vez mais ocupados, comemos mais porcarias, descansamos menos, e vivemos num estado de stress constante, não é nenhuma surpresa que esta condição se tenha tornado tão comum. Mas você pode optimizar o funcionamento das suas glândulas supra-renais e corrigir essa condição (ou impedi-la), de forma a ter um obstáculo a menos na sua busca pela perfeição física.

Definindo a Fadiga Adrenal

A fadiga adrenal é um conjunto de sintomas que ocorrem quando o seu nível de stress – seja mental, físico, emocional, ou uma combinação deles – ultrapassa a capacidade do seu corpo de compensar esse stress.

As glândulas supra-renais são duas glândulas endócrinas que se situam acima dos rins. Quando se deparam com o stress, as supra-renais produzam adrenalina (epinefrina), noradrenalina (norepinefrina), e cortisol. Esta liberação hormonal é frequentemente chamada de “lutar ou fugir” e foi concebido para se preparar para os desafios físicos imediatos.

O seu corpo é feito para lidar muito bem com o stress muito bem quando este é agudo e de curta duração, já que existem fortes mecanismos homeostáticos que trabalham em conjunto com o nosso sistema nervoso simpático, e parassimpático do sistema nervoso.

O sistema inteiro é lindamente projectado e funcionou bem para os nossos ancestrais, que geralmente enfrentavam situações stressantes intensas, mas breves, como afastar um predador faminto.

Agora pense no que o stress é hoje em dia: um número estranho no telemóvel da sua esposa, o júnior a voltar para casa com um boletim de más notas, o seu chefe a avisá-lo sobre irregularidades no seu relatório de despesas… o stress acumula-se.

É este stress crónico de baixo nível que nunca desaparece, que leva a problemas físicos.

Uma perspectiva médica

A fadiga adrenal é frequentemente descrita na comunidade médica como hypoadrenia ou glândulas supra-renais ou de baixa funcionalidade. Isto acontece em grande parte devido ao resultado das adrenais serem sobrecarregadas pelo stress crónico, pelos que elas começam literalmente a desgastar-se. O pior cenário poderia levar à doença de Addison, uma condição em que as supra-renais não produzem cortisol suficiente.

Pedir ao seu médico para verificar se você sofre de fadiga adrenal pode ser frustrante. O seu médico provavelmente irá usar um teste para verificar os seus níveis de cortisol. Há uma escala que eles consideram normal, digamos que é de 20-60.

Se estiver aos 19, você tem um nível baixo, e sofre da doença de Addison (cortisol insuficiente). Se tiver 61, você está num nível alto, e tem a síndrome de Cushing (demasiado cortisol).

Mas se você estiver claramente num nível baixo (em torno de 21-25), embora não entre completamente no território de Addison, a maioria dos médicos irá parar por aí e irão considerá-lo “normal”.

De acordo com alguns médicos progressivos, o que você realmente tem é a fadiga adrenal, mas porque não há reconhecimento formal dessa síndrome, não há nenhum código CID (Classificação Internacional de Doenças). Para a maioria dos médicos, a inexistência de um código CID, significa que a fadiga adrenal não existe!

A mensagem chave a reter aqui é, não suponha que o médico típico irá ajudá-lo, se você considera que sofre de fadiga adrenal.

Os testes de fadiga adrenal

Aqui está um guia rápido para os testes mais comuns:

Teste da saliva: O perito em glândulas adrenais Dr. James Wilson defende isto, como os níveis de hormona da saliva são mais reflexivas dos níveis de hormonas dentro das células, onde as reacções hormonais acontecem. Eles são fáceis de fazer – cuspa num frasco e está feito.

Teste sanguíneo: Você pode medir os níveis de aldosterona e de cortisol desta forma, mas o senão é que assim, só verá os níveis que estão a circular no seu sangue, e não nos seus tecidos ou células.

Teste minerais do cabelo: Este é um método defendido pelo Dr. Lawrence Wilson. Ele analisa os níveis de vários minerais presentes no cabelo, como o sódio, potássio e magnésio.

Teste de Ragland: Um teste simples que pode fazer em casa. Deite-se durante 3 a 5 minutos e em seguida meça a pressão arterial com um medidor de pressão arterial. Agora levante-se e volte a medir a pressão. Se a pressão cair, isso é um sinal clássico de fadiga adrenal. Normalmente, a pressão arterial aumentaria ou, no mínimo, permaneceria igual.

Teste de contracção da íris: Isto foi descoberto em 1924 pelo Dr. Arroyo e é mais um teste simples que você pode fazer em casa. Aponte luz para os seus olhos e peça a alguém para assistir com atenção à dilatação da pupila. Se você tiver adrenal fadiga, as suas pupilas irão permanecer contraídas, e mesmo quando elas começarem a dilatar, elas irão contrair-se e dilatar de forma alternada.

Como curar a fadiga adrenal

A boa notícia é que parte do problema é fácil de resolver através da alimentação e do sono. A má notícia é que há mudanças de estilo de vida que você pode ter que realizar, e isso pode ser mais fácil de dizer do que fazer.

Melhore a sua dieta

A altura do dia em que se faz as refeições, é de extrema importância para aqueles que sofrem de fadiga adrenal. Passar longos períodos sem comer é um erro pois gera um ciclo perpétuo de stress adrenal.

A hormona cortisol das adrenais, ajudam a manter o açúcar no sangue a níveis adequados para atender às necessidades de energia. Se você sofrer de fadiga adrenal, as supra-renais não irão produzir cortisol suficiente, tornando mais difícil a manutenção dos níveis normais de açúcar no sangue. A maioria das pessoas com fadiga adrenal, também sofre de hipoglicemia.

O que é especialmente importante é não saltar o pequeno almoço. Entre as seis e as oito horas, os níveis de cortisol normalmente aumentam, atingindo o máximo cerca das oito horas para a maioria das pessoas. Isso pode diminuir o seu apetite de manhã, mas você deve comer até às dez horas no máximo e começar a restabelecer o fornecimento de glicogénio.

Almoçe cedo, lanche às 2 ou três horas, faça um jantar saudável e, em seguida uma ceia mais tarde. Existem muitos estilos populares de dieta no mundo do culturismo, mas as pequenas refeições nutritivas frequentes, são a melhor se você sofrer de fadiga adrenal.

O que comer

O que  deve comer é bastante simples. Precisa de refeições equilibradas em gorduras, carboidratos e proteínas.

Todos esses alimentos são convertidos em energia em diferentes rácios, e irão fornecer um suprimento constante de energia durante bastante tempo. Comer todos estes três macronutrientes em cada refeição irá diminuir a tensão sobre as suas supra-renais. Esqueça as abordagens dietéticas baixas em carboidratos ou baixas em gordura. Para o homem ou mulher com fadiga adrenal, o equilíbrio é a chave.

  • Proteína - Coma carne de animais alimentados a pasto, ovos inteiros, frango ou outra proteína de origem animal, em cada refeição. Eu não sou um crente em proteína de soja por causa dos anti-nutrientes, e os vegetarianos parecem ter mais dificuldade em recuperar da fadiga adrenal.
  • Carbohidratos - Coma cereais não refinados, como arroz integral, aveia, trigo sarraceno, quinoa, ao contrário dos carboidratos refinados, que fazem o seu corpo canibalizar nutrientes para metabolizá-los.

Não entre em “falência nutricional”. Você estaria a sugar todos os nutrientes do seu organismo para metabolizar a porcaria que iria comer, em vez de estar a fornecer nutrientes ao seu organismo.

  • Gorduras – As suas glândulas adrenais adoram ácidos gordos essenciais. Certifique-se de que obtém a quantidade suficiente de ômega-3 por meio do EPA e DHA a partir de produtos como suplementos de óleo de peixe ou de fontes alimentares como o salmão selvagem do Alasca. (Eu tenho em conta o óleo de semente de linho, porque o organismo tem muita dificuldade em converter o ácido alfa-linoléico na forma utilizável de DHA).

Cozinhe em gorduras saturadas, como óleo de coco, manteiga e manteiga de cacau para evitar a ingestão de óleo rançoso, e inclua as gorduras monoinsaturadas como as encontradas no azeite. O valor da inclusão dessas gorduras em cada refeição não é apenas para o benefício nutricional, mas para retardar a digestão da refeição.

Nota: Não se esqueça do sal!

Alimente-se de forma saudável, de forma a facilitar a recuperação das glândulas adrenais.

As glândulas adrenais stressadas, têm dificuldade de produzir quantidades adequadas de aldosterona e, com a queda dos níveis de aldosterona, o sódio é removido do sangue e excretado pela urina. Certifique-se de adicionar sal aos alimentos ou até algumas pitadas de sal a 2-3 copos de água diariamente.

Bebidas com baixo teor de sódio e de potássio não são a resposta – isto é exactamente o oposto do que deve fazer alguém com baixos níveis de cortisol e deficiência de sódio.

O que não comer

  • Álcool, café e açúcar - Você tem que deixar as suas glândulas adrenais recuperar totalmente contra o stress que as esgotou. Quando toma cafeína e açúcar para se sentir energizado, isso irá impedir as adrenais de produzir o nível certo de energia de forma natural. O mesmo acontece com o álcool. Beber para relaxar inibe as glândulas supra-renais de executar essa tarefa sozinhos.
  • Certas frutas na parte da manhã - Frutas que são ricas em potássio e frutose não devem ser ingeridas no período da manhã.

Lembre-se, potássio demais não é bom para alguém que já sofre de deficiência de sódio. O Dr. James Wilson recomenda que se limite o consumo de bananas, uvas passas, tâmaras, figos, laranjas e toranjas, optando em vez disso por: mamão, manga, ameixa, pêra, kiwi, maçã, uvas e cerejas.

  • As gorduras trans - gorduras saudáveis ​​ajudam a construir as membranas das células, mas as gorduras trans usam das enzimas que as gorduras boas estariam a usar para ajudar a formar as membranas celulares, nervos, etc Isso não é bom.
  • Os açúcares refinados - Lembre-se da relação entre a hipoglicemia e fadiga adrenal: o aumento rápido do nível de açúcar no sangue derivado da sua ingestão, irá provocar uma libertação maciça de insulina deixando-o com níveis baixos de açúcar no sangue. Evite este ciclo stressante para as suas supra-renais.

Modifique o seu estilo de vida

A primeira coisa que vem à mente quando se trata de resolver o enigma de fadiga adrenal é dormir mais e descansar mais, em geral. Essas são as coisas mais importante para mudar, mas é preciso ir mais fundo.

Elimine os sugadores-de-vida

Os sugadores-de-vida são as pessoas que fazem parte da sua vida e que lhe dão uma sensação de desconforto, raiva ou frustração quando estão presentes. Eles estão constantemente a ser negativas, sempre a reclamar, e nunca vêm o lado bom das coisas.

Você tem de tentar limitar a exposição a essas interacções da melhor maneira possível (se não for um cônjuge ou membro da família). Eu não estou sugerir que fuja dos seus problemas, já que eles geralmente proporcionam oportunidades de aprendizagem, mas se alguém o tem vindo a arrastar para baixo durante meses, talvez anos, você pode queira dar um intervalo a essa relação.

Eu adoptei algumas regras que definitivamente fizeram baixar os meus níveis de stress do dia-a-dia:

  • Nem sequer fale com o “sugadores-de-vida” durante algum tempo. Talvez eles vão embora, e se não, em algum ponto, você pode conversar com eles e dizer-lhes porque razão o seu comportamento lhe está a sugar a vida.
  • Se há alguém com quem tem que conversar, defina e mantenha um limite de tempo para estar com eles. Eu tenho uma regra de cinco minutos. Após ter passado o tempo que você definiu, limite-se a dizer à pessoa que você tem que ir. Não se deixe sugar para uma exaustiva conversa de duas horas.
  • Não tenha medo de dizer não. Você não pode agradar a todos, e dizer sempre “sim” poderia leva-lo a problemas ou a colocar-se em situações de stress de que você simplesmente não precisa.
  • Tome decisões difíceis. Não são só as pessoas que lhe podem sugar a vida, as situações também podem.

Muitas vezes é um trabalho. Eu conheci um indivíduo que estava sempre a queixar-se e a falar do odiava o seu trabalho. Finalmente, eu disse claramente, “Simplesmente despeça-se. As suas duas outras opções são simplesmente parar de se preocupar com essa porcaria tediosa ou começar a procurar um novo emprego. Mas por favor faça só uma dessas três coisas!”

A próxima vez que eu o vi, ele estava muito mais alegre. Ele tinha posições mudaram, e agradeceu-me por lhe dar um pontapé no rabo. A lição a reter aqui é fazer uma das seguintes opções: aceitar e adaptar-se, mudar de situação, ou sair dela.

  • Rir. O riso aumenta a actividade do sistema parassimpático. Quando você está a rir e a divertir-se, sem stress e a aproveitar a vida, as suas glândulas supra-renais ficam geralmente em repouso e pode-se recuperar. Converse mais com as pessoas que o fazem rir, vá a lugares que o fazem sorrir, e não leve a vida demasiado a sério.

Quando eu estou a rir e ando mais feliz, durmo melhor, o meu apetite melhora, e treino com mais intensidade.

  • Durma mais. Lembro-me de Mike Mentzer ter dito que tinha passado por um período em que não dormia, e que esse período ocorreu durante uma altura em que não estava a ser produtivo. Se você segue essa filosofia, pode querer reconsiderar.

O pensamento predominante é que o sono entre as sete e nove horas é extremamente restaurativo. Se suspeitar que tem fadiga adrenal e trabalhar num turno de 8 a 5, tente dormir até às nove da manha aos fins-de-semana. Quando você considera que os níveis de cortisol normalmente sobem entre as 6 e as 8:00, aqueles com fadiga adrenal não terão o sobe e desce que uma pessoa com adrenais saudáveis ​​teria.

Há outras coisas que você pode fazer para melhorar o sono, como ingerir uma refeição de proteína de alta qualidade, carboidratos não refinados, gordura saudável imediatamente antes de dormir. Novamente, existe uma forte relação entre a fadiga adrenal e o nível de açúcar no sangue, que podem descer tão baixo durante a noite ao ponto de o acordar.

Você deve também certificar-se de se que deita antes das 10 horas, como a maioria das pessoas com fadiga adrenal, têm um padrão de “acordar de novo” às 23:30 mais ou menos, e depois ir dormir pode ser um grande desafio.

Use Suplementos Nutricionais

Os suplementos podem ser uma grande ajuda nos seus esforços para combater a fadiga adrenal. Aqui estão alguns para experimentar:

Melatonina: ajuda a restabelecer os padrões de sono ideais. Experimente 2 mg à noite.

Vitamina C: Este deve ser o suplemento número um suplemento, se você tiver adrenal fadiga.

Há uma relação directa entre a quantidade de cortisol é a quantidade de vitamina C que é usada. Se você está constantemente sob stress, o cortisol resultando irá esgotar os níveis de vitamina C. Tente 2 gramas por dia. Certifique-se o seu suplemento de escolha inclui bioflavonóides na proporção de 2:1 de ácido ascórbico para bioflavonóides.

Vitamina E: A vitamina E trabalha em estreita colaboração com a vitamina C para neutralizar os radicais livres. (Quando o corpo produz hormonas supra-renais, são gerados radicais livres.)

Devo adverti-lo contra a ingestão de qualquer suplemento de vitamina E. Muitas das fórmulas com  a forma d-alfa podem fazer mais mal do que bem. Procure um suplemento com tocoferóis mistos. Aponte para 800 mgs por dia. Em termos de alimentos, óleo de palma tem todos os tocoferóis E numa forma extremamente útil. E é isso que recomendo.

Magnésio: O magnésio é responsável por centenas de reacções enzimáticas no organismo. Magnésios (e outros minerais) são melhor absorvidos durante a noite e com uma ajuda digestiva, tal como a betaína HCL. Poderá encontrar magnésio em certos suplementos como o e ZMA ®.

Raiz de Licorice: Esta é a erva  mais conhecido por ajudar a combater a fadiga adrenal. Também pode ser usado para diminuir os sintomas de hipoglicemia. Não comer o doce, mas sim a versão bebida de chá.

Os pequenos stressores acumulam-se

O seu corpo é bom a lidar com o stress agudo, não com o stress crónico diário. Você irá destruir os seus melhores esforços no ginásio, ou ainda pior, vir a sofrer de doenças degenerativas, como a diabetes.

Se seu objectivo é um agachamento de mamute maestria, refinamento muscular, ou apenas uma saúde excelente, respeite o seu corpo e proteja as suas supra-renais. Você não vai irá arrepender.

Se gosta dos nossos artigos, pode subscrever a nossa newsletter!

14 Comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *